Passaram por aqui:

sábado, dezembro 05, 2015

Balanço de 2015

O ano ainda não acabou, para vocês...para mim já acabou faz tempo.

E não que o próximo fará alguma diferença, mas quer saber, não vejo a hora de dizer: 

- Enfim Janeiro de 2016. Um ano a menos para volta de Cristo.

Entre ganhos e perdas durante o ano de 2015, posso dizer sobre as perdas, já foram tarde. Sobre os ganhos, que permaneçam.

Ano de avivamento, reencontro, cura, deserto, fé, culpa, vazio, choro, decepções, pecados, vícios, crescimento, ansiedades, novos amigos, amadurecimento, tattoo, medos, tristezas, novo emprego, comunhão, igreja, irmãos,  novos problemas. 

Alegrias? Bem pouquinhas, miudinhas, miudinhas...
Ainda não cheguei na fase de desfrutar de uma plenitude completa em Deus, mas vou chegar.

Também foi um ano de constatar a frieza/indiferença que permeia no Corpo de Cristo que também não deixa de ser bíblico, concluo: Jesus Cristo está bem mais próximo de voltar.

Sobre as aflições? 
Parecem crescerem a cada ano que passa. 

E cada vez mais a minha necessidade de ficar reclusa, cada vez menos a necessidade de externar minhas aflições para quem não quer me ouvir; 
Cada vez menos a necessidade de ajudar quem não quer ser ajudado;
Cada vez menos a necessidade de justificar meus erros;
Cada vez menos a necessidade de me preocupar com o que não tem mais jeito;
Cada vez menos a necessidade de se fazer presente onde não sou bem-vinda;
Cada vez menos a necessidade de tentar mostrar o meu valor;
Cada vez menos a necessidade de entrar em debates religiosos/teológicos/temas polêmicos;

Cada vez mais a necessidade de buscar mais a Deus;
Cada vez mais a necessidade de comunhão entre os irmãos;
Cada vez mais a necessidade de ajudar quem quer se ajudado.
Cada vez mais a necessidade de reconhecer minhas falhas;
Cada vez mais a necessidade de descansar em Deus e entregar a Ele o que não posso resolver;
Cada vez mais a necessidade de orar pelos que falam mal a meu respeito, pelos que me fazem mal;
Cada vez mais a necessidade de estar onde me querem por perto sem que eu tenha nada a oferecer, exceto, problemas.
Cada vez mais a necessidade de saber quem eu sou em Cristo;
Cada vez mais a necessidade de dependência em Deus.
Cada vez mais a necessidade de contar sobre as suas maravilhas;
Cada vez mais a necessidade de alimentar a minha fé;
Cada vez mais a necessidade de viajar;
Cada vez mais a necessidade de relacionamentos sadios.

Guia-me para que em tudo em Ti confie.
E que venha 2016 porque 2015 já rendeu demais.
Inté mais ler
Anne Araújo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!