Passaram por aqui:

domingo, outubro 09, 2016

Na Selva de Pedra (SP)

Chegou o grande dia.
A viagem tão esperada. 
Três anos desejando essa viagem, razões por mim mesma desconhecidas, não sei explicar. O Estado de São Paulo nunca me atraiu  
Eu também nunca quis conhecer o Rio de Janeiro e depois de ter ido, me apaixonei, amor a primeira vista, cidade maravilhosa.
O dia estava lindo, quente, meu irmão comprou a passagem de ônibus para Recife. E pela manhã fui na casa de Cláudia fazer as unhas. (sofri, ela tem uma mão pesada, se fosse viver disso, não teria nenhuma cliente.)  Quando cheguei no Tip, minhas unhas estavam um desastre.
Aliás quase perdi o horário do ônibus. Eu me organizo pra deixar tudo pronto mas tem sempre algo que falta e só lembro de última hora.
Mas cheguei a tempo.
Mainha ao se despedir de mim, chorou. (parecia mesmo que eu estava indo morar lá, até pensei que isso poderia acontecer, mas devido aos acontecimentos da primeira semana, me fizeram repensar)

Anderson se prontificou em me deixar no aeroporto.
Enquanto isso, apreciei o crepúsculo naquele dia...
Passei a me preocupar com mais de 1h de espera. 
O trânsito no Recife depois das 17hs é infernal.
Anderson chegou as 18hs e 30 min e o check-in começava as 19hs.
Foi uma maratona e o coração a mil/hora. Cheguei 30 minutos antes do embarque
Nem pude aproveitar e ver o Aeroporto Internacional dos Guararapes reformado.
Foi uma correria e para completar, o telefone começou a tocar justamente na hora que estou indo ao banheiro.

Era um ex namorado meu. Não atendi. Andei feito louca até finalmente sentar na minha poltrona e atender o telefone que não parava de tocar. Ufa!
Falei rapidamente e me despedi dele.
Ainda falei com meus pais, minha sobrinha e mandei foto pelo whatsapp.
Adrenalina pura!

Agradeci a Deus por aquela oportunidade e pedi pra que Ele me protegesse de todo mal e de mim mesma.
Mandei mensagem pelo whatsapp para Thais Colin que queria saber se eu já estava em Sp. Consegui falar com ela e com Tony (o irmão do Anderson) a tempo deles me pegarem no Aeroporto de Guarulhos. 
Ao sair do Aeroporto, um cheiro insuportável e forte, como fumaça.
Por um momento pensei que tivesse fumando do meu lado, mas não havia ninguém.
Era o ar de São Paulo. (Cruzes)
A cidade é enorme e bonita. Eu gostei muito. E já estou com saudades (risos).
Dormi na casa do Tony e já conquistei a filha deles, a Yasmim que é uma graça. Conheci a Harolda, uma porquinha da índia.
Roberta me levou no dia seguinte para casa do meu primo e fomos de metrô.
Alex Rules quando chegou me fez muitas perguntas e no final da noite, parecíamos unha e e carne, os mais amigos. (Ufa, ele gostou de mim!)

No sábado fiquei aguardando Thais dizer o horário pra eles me buscarem na estação Tucuruvi.
Fui recebida como muito carinho pela família do Colin Viana ( o Gordo chato ).
Sr. Antonio Viana, o pai dele foi com a Thais me buscar na estação Tucuruvi com o carro do vizinho, pois o dele estava na oficina, (muita consideração s2).
Colin ainda estava trabalhando.
Eu e Thais saímos pra comprar algumas coisas no supermercado, foi o tempo que Colin chegou.
Quando chegamos estava ele esparramado no sofá (gordenho) e o pai dele assistindo o jogo do São Paulo.

Fomos pra igreja onde ele congrega.
Igrejinha simples, irmãos amistosos.
Ao saírmos, finalmente senti o frio de São Paulo.
E aprendi já de cara, quando disserem que tal lugar é perto, acredite, é longe pra caramba!
Conheci dona Joana, finalmente quando chegamos da igreja.
E claro, o Frederico também. s2 amei.
Não imaginei que pudesse estar ali algum dia.
Num dia você conhece alguém por "acaso"  pelo Facebook e no outro você já conhece a família e está na casa como sendo da família também.
E passei um bom tempo com eles.

Mas durante esta minha estadia em São Paulo, coisas ruins também aconteceram. Mas aqui quero registrar o que foi bom.
Surpresas inesperadas, novas amizades, lugares que nunca imaginei estar. 
Um presente de Deus e várias lições também.
Acredito que algumas coisas poderiam ter sido evitadas, outras tinham que de fato acontecer. E por fim, espero que tudo, até mesmo as coisas ruins, cooperem para o nosso bem, não apenas o meu mas de todas as pessoas que de alguma forma fazem parte da minha vida.
Essa foi a primeira parte da viagem, escreverei outros, falando dos lugares e pessoas que conheci através do Twitter ou Facebook.



Inté mais ler,
Anne Araújo








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!