Passaram por aqui:

sábado, outubro 24, 2015

Graça!

Não tem experiência mais linda do que a aceitação de Jesus Cristo como Senhor da sua vida.
Digo com toda certeza que é a melhor decisão que alguém pode fazer.O nosso modo de ver as coisas, o amor de Deus derramado dentro de nós, o julgo e fardo quebrado naquele momento, o Espírito Santo habitando dentro de nós. Ouvir a voz de Deus de maneira audível, através de sua palavra ou do Espírito Santo em nosso coração.
Os primeiros meses são uma delícia. Lembro de ficar duas primeiras semanas com aquele ardor (intenso) no meu peito, dentro de mim, como se fosse uma febre interna, não sei descrever. Me perdoem a definição esdrúxula da palavra unção.

O inimigo de nossas almas ao perder o domínio sobre nós, não fica nada satisfeito. E quer destruir o nosso relacionamento com Deus.
Usando pessoas da própria igreja, através de discipulados que contém ensinos que não procedem da parte de Deus.
Vamos perdendo a nossa identidade e assumindo uma identidade religiosa e  legalista. (Ainda estou lançando fora toda religiosidade e legalismo, mas preciso de alguém que me ajude nisto e não que me julgue.)

Aprendi a me relacionar com um Pai carrasco que se não fizer o que Ele quer vai me punir ou não me dará aquilo que peço. Um relacionamento de barganha. Só obtive silêncio. Deus nunca me deu nada quando barganhei, e graças a Ele por isto.

Custou dias e noites de lágrimas, de solidão e deserto para perceber que o que eu precisava era mudar o meu modo de me relacionar com Deus.
Mas isto só mudou quando tive uma explicação clara a respeito da GRAÇA (FAVOR IMERECIDO) e compreendi que não importa o que eu faça, se Deus quiser me dar algo, amém, (mesmo não merecendo), se quiser, amém também. (continuo não merecendo. A única coisa que mereço é o inferno.)
Desse tempo em que entrei em crise na fé até esfriar, o que mais senti falta não foi de receber algo da parte dele, algo material. O que senti falta foi do meu relacionamento genuíno, aquele do início, do nosso primeiro encontro, do primeiro amor como dizem.
Senti saudades de Deus. E tudo o que eu queria era ter sua presença em minha vida, ouvir sua voz. 
Suas instruções e suas correções. O que eu precisava seja na questão física, material ou sentimental já não importava mais, porque nada disto faria sentido se Ele não estivesse presente.
Eu amo meu Senhor, meu Pai de amor, meu Salvador.
Ter de volta o meu relacionamento com Deus é o melhor presente que eu poderia ganhar dEle.
E entender que não devo receber julgo e fardos do legalismo religioso e tão pouco imputar isto em outras pessoas.
Há tanta gente machucada e ferida por causa da religiosidade. Gente que não aprendeu a se relacionar com Deus, gente que substituiu o poder de Deus por um poder demoníaco que aprisiona e machuca pessoas.
Há tantas pessoas que se afastaram do Senhor que não aguentam o fardo pesado que já carregam por seus pecados e ao invés de ajudá-las colocamos fardos ainda mais pesados.
Quando a única coisa capaz de mudar ou trazer de volta essas pessoas é através do amor, do diálogo, saber ouvi-las. Se aproximar delas como um ser humano falho que somos, com compaixão e amor. Porque isto é ser espiritual. É ser humano.
Não estou dizendo que nesse relacionamento não haverá correções, haverá sim porque Deus corrige a quem ama. A questão é como estamos fazendo isto, como amor ou com religiosidade.
O que sei é que tudo que é feito com amor flui, contribui.
Eu tentei ser o que não foram comigo quando eu esfriei na fé.
Não sei se obtive resultado. E não obtendo, entendo que preciso melhorar e muito. Me aproximar ainda mais de Deus pra saber me relacionar com o meu próximo.
Minha música para hoje, define o que escrevi.
Bom sábado.
Deus os abençoe.

Inté mais ler,
Anne Araújo




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!