Passaram por aqui:

sexta-feira, dezembro 26, 2014

Balanço de 2014

Detesto fazer balanço do que se passou no ano, porque nunca estou como imaginei e sinceramente parece que fica pior ao passar dos anos. Continua tudo igual só que mais intenso.

Acho que estou aprendendo forçadamente a conviver com o que tenho, o que me foi dado, o que me foi escolhido. Chamam isto de destino. Se assim o for, o que mais poderei fazer se tudo já está escrito e programado? Eu não sei...


De tudo que já tentei para melhorar de alguma forma não deu certo.

Não tenho pena de mim e tão pouco quero que alguém o tenha, por favor! Sem piedades.
Cheguei naquela fase novamente de deixar as coisas passarem e não criar muita expectativa ou esperança.

Eu gosto de estar sozinha embora um parte de mim desejasse proteção, não falo de Deus, falo de ter alguém, sabe como é... metade da laranja, alma gêmea, a tampa e a panela mas ao mesmo tempo, antes só do que mal acompanhada quando olho para os relacionamentos alheios e seus fracassos, mentiras, infidelidade, egoísmo, uma falsa felicidade, pessoas que dizem amar e no entanto colocam a saúde do seu cônjuge ou parceira em risco, quando vejo estas merdas, desculpe por assim dizer, logo aceito minha condição, eu estou bem, melhor assim.

Tentei por meio da fé sublimar o que sinto com relação a vida. Até funcionou durante um tempo até que comecei a conhecer estas "pessoas da fé", o comportamento delas, as promessas e tudo em nome de Deus. Foi pior? Não sei... meu relacionamento com Deus nunca mudou nem antes da minha conversão e nem após, continuo crendo nEle, embora eu não o conheça de fato, não como dizem nas pregações, onde tudo vai se resolver se eu fizer isto ou aquilo e quanta bobagem... tudo é pela graça mesmo. Deus dá se quiser, faz do que jeito que Ele quer e ponto. A mim cabe aceitar, não o culpo. Apenas ainda não descobri meu propósito. Estou longe de ser santa, perfeita, não quero culpar ninguém. É que vivi 36 anos e não gostei do vi, senti e vivi. Há algo bom para se esperar nos próximos anos? Sinceramente eu não sei, gostaria de pensar que sim, ao menos nos meus últimos anos de vida eu  pudesse ter algum tipo de realização que me faça dizer: valeu apena passar por tanta coisas.

Acredito que muitas pessoas passam por diversas situações. Algumas com maior capacidade de lidar com as tragédias, dilemas da vida. Eu não posso falar por todos e tão pouco farei comparação, cada um que sabe onde o calo aperta.
Por isto deixo um vídeo a quem possa interessar, me identifiquei nas palavras que foram ditas aqui, porque em algum momento foi assim que aconteceu e é sempre assim que acontece.


Inté mais ler!
Anne Araújo

Cuidado para não perder a sua fé - Ed René Kivitz https://www.youtube.com/watch?v=0j6Cu00Ztv4


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!