Passaram por aqui:

quarta-feira, setembro 04, 2013

Replay: A Igreja no Banco dos Réus

Sei que há algum tempo que não escrevo. Estou em falta... mas enquanto não escrevo, gostaria de publicar um texto que li e na minha opinião o melhor que já li. Desejo então compartilhar com vocês:



Com as crescentes críticas aos evangélicos, comecei a ouvir pessoas, para saber a causa principal destes julgamentos e também saber a opinião delas com relação aos pastores. Quase todas as opiniões que ouvi, afirmaram que os religiosos enriquecem às custas do povo, ficando conhecidos como “mercenários”, “vigaristas”.
Diariamente assistimos a programas de TV, nos quais pregadores não se cansam de pedir dinheiro. Porém não vemos uma atitude contrária (de um pastor ofertando ao invés de receber).Entre outras razões, esta fez com que a imagem da Igreja ficasse muito denegrida e perdesse muitos adeptos.
Em recente viagem a Rondônia, pude realizar uma edição da Rota do Fogo em Porto Velho (capital do estado), na igreja do Pr. Ladner Martins. Quando cheguei lá, Deus me inspirou a fazer um ato profético de pedido de perdão, representando a Igreja. 
Neste ato, fez-se a simulação de um tribunal, com o Dr. Ladner Martins (que também é procurador), representando o promotor do caso; a Drª. Sandra Martins (Juíza de Direito), representando a juíza do caso; Drª. Sádia, como advogada de defesa e eu, no banco dos réus, representando a Igreja. 
A seguinte questão foi levantada e levada a julgamento: Se hoje a igreja estivesse no banco dos réus quais seriam as acusações contra ela?
O primeiro ponto levantado é que muitos pastores só querem dinheiro, são ricos e não repartem aquilo que têm. É verdade ou mentira? Será que se esta acusação entrasse realmente no processo, no Tribunal de Deus, estes pastores seriam condenados? Eu acredito que sim, pois alguns realmente só recebem ofertas. Você já viu alguma notícia de um pastor rico, que fez o mesmo que Zaqueu: repartir metade do que tinha com os pobres e devolver quatro vezes mais àqueles que ele tinha lesado.
Você já viu algum pastor que começou pobre e hoje é multimilionário repartir com os pastores pobres? Não. Então a igreja realmente pecou nesta área. 
A igreja hoje tem feito atos de caridade? Muito pouco, então ela é condenada no banco dos réus. O que vamos fazer? Temos que pedir perdão e começar a mudar esta situação. Vamos começar a ofertar, assim como Zaqueu repartiu o que ele tinha com os que não tinham.
Fizemos este ato em Rondônia e cada pastor que estava presente também começou a pedir perdão ao seu povo. Nos últimos séculos, a Igreja só tem pedido, mas na Igreja primitiva, todos tinham tudo em comum e repartiam. Então vamos começar a repartir!
O ato profético “A igreja no banco dos réus” ainda trouxe outras acusações que existem contra a Igreja, as quais, infelizmente são realidade. Hoje vemos notícias de irmãos que levam outros ao tribunal por dinheiro. Irmãos, pastores, cantores, discutindo que somente fazem show / ministram se o cachê for pago antecipadamente. Isso traz  muitos prejuízos para imagem da igreja de Cristo e merece uma condenação. Isso é uma vergonha e nos deixa perplexos.
Cremos que esses são motivos pelos quais imagem da igreja ficou mais denegrida ainda. Então nós, aqui, também pedimos perdão. Nós também apresentamos levitas, cantores e pastores que andam com guarda-costas e ninguém pode tocá-los, são verdadeiros ídolos, estrelas que se equiparam aos artistas do mundo, sem diferença nenhuma. Neste momento temos certeza que as pessoas estão certas de condenar a Igreja, porque realmente, estas atitudes não estão corretas.
Nos dias atuais, temos exemplos no meio da igreja evangélica... situações em que os líderes, brigam pela presidência, pela chefia, para mandar na Igreja. A Palavra nos ensina que o maior deve servir ao menor. Mas quando vimos um pastor, um líder presidente ou apóstolo descer para lavar os pés de seus discípulos e amá-los como Jesus amou?
Outra situação em que as pessoas condenam os pastores é que enquanto existem algumas igrejas muito grandes, milionárias, outras ao lado passam verdadeira necessidade. Enquanto os cofres de algumas igrejas estão abarrotados com milhões de dólares, missionários passam dificuldades. Isso também seria condenado no Tribunal de Deus.
Mais uma questão apresentada neste Tribunal nos remete à passagem bíblica em que Jesus elogiou o samaritano que não era judeu por ter recebido bem uma pessoa doente (Lucas 10:25-37).
A bíblia diz que Jonas foi enviado para uma cidade pecadora, como Nínive e ele queria queimar os ninivitas, mas Deus disse a ele: “Não teria eu misericórdia de cem mil almas?”.
Com esta mensagem e ato – ambos proféticos – não queremos afirmar que estamos certos, mas apenas levar o assunto a debate. Dê a sua opinião. Está certo nos afastarmos dos católicos e condená-los porque há dois mil anos alguns católicos perseguiram os evangélicos? Vamos fazer a mesma coisa com eles? Esta seria uma atitude que passaria no Tribunal de Deus? Seria aprovada? Será que Deus está feliz em ver alguns somente juntando dinheiro e não repartindo? Será que Deus está feliz em ver pastores ricos, enquanto ao lado destes existem pastores passando necessidades? Será que isto é a Igreja Primitiva? Se a Igreja não mudar, começaremos a ter protestos na frente de nossas igrejas.
Estas são algumas das situações que foram apresentadas neste ato profético e, como igreja do Senhor Jesus, pedimos que Deus tenha misericórdia de nós, nos perdoe e comece a nova geração de uma igreja, como da Igreja Primitiva.
Que comece hoje uma campanha de orações a favor da igreja de Cristo. Que haja a concientização de que devemos mudar a nossa  imagem perante a opinião pública, pois a igreja de Cristo era conhecida pelo amor que seus membros demonstravam uns para com os outros.
Joel Engel - www.joelengel.com.br

Inté mais ler,
Anne Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!