Passaram por aqui:

sábado, julho 20, 2013

eu, Reforma!

Sinto falta de escrever, sinto falta da inspiração. 
Tive que parar. 
Na verdade, muitas coisas me pararam. Percebi ao passar de alguns meses que estava vazia em minha consciência, como quando você passa por um processo de lavagem cerebral e você não opina, não questiona, não tem opinião própria. E tudo o que você faz é como um papagaio, repetir aquilo que foi impregnado em sua mente como sendo a verdade do Evangelho. E mesmo outrora você estando consciente de que algo estava errado, não foi suficiente para não ter se deixado levar por uma doutrina que está muito longe de ser o que Cristo pregou quando veio a terra. Quem diria, eu que antes de me encontrar com Jesus, sempre fui racional, sempre gostei de pensar por mim mesma, de questionar, de repente estava inconsciente da consciência. Que triste.
Aqui no blog costumo escrever sobre minhas experiências pessoais, o que creio e deixo bem à vontade aos leitores para reterem o que é bom.
Quando passei a olhar para a minha vida e tudo aquilo que me ensinaram não se encaixava, mas encaixava na vida de uma minoria, comecei a pensar como pode uma doutrina beneficia uma minoria em nome de Deus e o restante está passando por dificuldades, necessidades.?
As coisas ficaram sem sentido.
E graças a Deus não fazia mais parte desta denominação, e creio que isto me impediu de ser ludibriada novamente, e voltar a ficar presa a um sistema corrupto, desumano e maligno.
Não sei dizer exatamente quando comecei a observar que as coisas não se encaixavam, no entanto ao buscar respostas do Senhor, com o tempo Ele foi me ensinando e mostrando, tirando as escamas dos meus olhos.
E tudo começou quando li: Heróis da fé de Orlando Boyer. Mas especificamente quando li sobre a vida de George Muller.
Voltei às origens, voltar aquele caminho, o caminho da verdade, o caminho de Jesus. Identifiquei na vida de George Muller coisas que estavam no meu coração e quase foi suprimido pela malignidade de um sistema corrupto que atua hoje dentro das denominações e pela busca frenética por dinheiro, bênçãos, reconhecimento humano, títulos e maravilhas.
Depois do livro, li a Palavra, li outros livros e assisti vídeos sobre o evangelho através de pessoas que vão contra este sistema alienador do qual eu também fui vítima.
Liberta hoje da religiosidade e deste sistema corrupto, tenho cada vez mais convicção dos princípios de Cristo e do que Ele deseja de nós como Igreja.
A Linguagem do blog irá mudar, mas mudar para melhor eu creio. O meu intuito aqui é levar as pessoas a refletirem sobre suas vidas e estarem cada vez mais consciente de que sem Jesus não somos nada.
E que não importa em que dom você foi chamado (a). 
Não importa se Deus o vê como profeta, evangelista etc, mas importa mesmo é que o Senhor te veja como filha (o). 
Este título de filho para mim é o mais importante e busco preservar porque os dons são de Deus, mas ser chamado de filha(o) custou o sangue daquele que nos amou desde o princípio.

Estou ainda em processo de transformação, e até Jesus voltar, será assim.
Voltemos ao Evangelho de Cristo.

Inté mais ler,
Anne Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!