Passaram por aqui:

quinta-feira, maio 23, 2013

O pecado parasita capital



Desde a idade média o ser humano tenta encontrar o pecado capital. A igreja católica por um bom tempo encontrou 7. Nós brasileiros, faz um tempo, queremos eleger um pecado acima de todos os outros, o pecado que envolve a área sexual.
Mas tenho visto um pecado que é o pecado parasita dos pecados, ele está o tempo todo ao redor das pessoas e, muitas vezes está nas pessoas e quase ninguém o identifica.
Líderes, pastores, músicos e pessoas de influência religiosa são mais vulneráveis a esse pecado parasita.
Eu estou falando do pecado parasita chamado ego inflamado. Vou explicar como ele funciona na prática.
As pessoas são contaminadas via olhar, através de espelhos, fotos, vídeos, e principalmente reportagens em revistas, também podem ser contaminadas por audição com elogios, bajulações e fofocas.
Mas quando a pessoa alimenta esse pecado com poder, cargos ou funções de autoridade, o parasita já começa a aparecer mais claramente, criando uma irritabilidade à críticas, opiniões contrárias, ou simplesmente às pessoas que não vivem em torno do contaminado pelo parasita.
Mas por que chamo o pecado do ego inflamado, de pecado parasita capital?
Porque o maior estrago que esse pecado causa é quando ele vem após um outro pecado.
Por exemplo, o líder religioso é destaque na igreja em que ele trabalha e consequentemente, com o tempo, todos acabam  o admirando e seguindo.  O pecado já está instalado nesse líder, alguns reparam, mas não falam nada.
Aí esse líder comete um pecado que se torna público, por exemplo, comete um adultério ou algo do tipo. É lógico que o pecado do adultério em sim já é muito grave, mas sabemos que Deus perdoa e restaura qualquer pecador arrependido.
O arrependimento não é só o constrangimento de ter feito algo errado perante Deus e os homens, mas também um caminho de volta que envolve o pedido de perdão, humildade, supervisão, e no caso do líder, um afastamento momentâneo do cargo para a sua recuperação e da comunidade que está a frente. Mas é aí que o pecado parasita entra em ação arruinando qualquer restauração.
O ego de boa parte dos líderes estão tão inflamados que se tornaram um parasita pecaminoso no próprio pecado. Pois o pior pecado não é o erro repentino de uma caminhada, mas o ego que não deixa ele se arrepender genuinamente e voltar de novo ao caminho. Esse ego inflamado é perigosíssimo. Digo mais: é capital!
A marca do seguidor de Jesus Cristo não é a santidade e sim o arrependimento contínuo, arrependimento de ser quem não deveria ser.
Fico triste em ver o número crescente de pastores e líderes que não conseguem pedir perdão, ou se submeterem ao caminho de volta de uma disciplina. Reclamam que a igreja é impiedosa, e as vezes é mesmo, mas não se humilharam e caminharam o caminho estreito oposto ao ego, o caminho da restauração. Estão com esse parasita pecaminoso, chamado ego inflamado, até o pescoço.
Oro para me tornar e encontrar mais amigos e líderes que estão dispostos, não a nunca pecar, mas a sempre se arrepender e caminhar no caminho oposto ao ego, no caminho da humildade, no caminho de Cristo.


Inté mais ler, 
Anne Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!