Passaram por aqui:

quarta-feira, maio 29, 2013

George Müller 1805-1898 - (Heróis da Fé)

Mais conhecido como apóstolo da fé, George Müller foi um homem que confiou e dependeu totalmente de Deus. Ele nasceu em 1805 de pais que não conheciam a Deus. Com 10 anos de idade foi enviado a uma universidade a fim de preparar-se para pregar o Evangelho; não, porém, com o alvo de servir a Deus, (Interessante isto, me pergunto se isto ainda acontece nos dias de hoje, fábrica de “ministros do evangelho”) mas para ter uma vida cômoda. (risos) Gastou esses primeiros anos de estudos nos mais desenfreados vícios, chegando, certa vez, a ser preso por 24 dias. George, uma vez solto, esforçava-se nos estudos, levantando-se às 4 horas da manhã e estudando o dia inteiro até as 10 da noite. Tudo isso, porém, ele fazia para uma vida DESCANSADA DE PREGADOR. (Olha que naquele tempo já existia isto, aliás nunca deixou de existir. É bíblico.)
Aos 20 anos de idade, contudo, houve uma completa transformação na vida desse moço. Assistiu a um culto onde os crentes, de joelhos, pediam que Deus fizesse cair a sua bênção sobre a reunião... Desde então ele não deixou e buscar a presença de Deus. (Que coisa linda!!!)

Foi então que foi chamado para ser missionário, e também pastor.

Uma citação dele me chamou a atenção que foi:

“ O Grande ponto é nunca cansar de orar antes de receber a resposta...”

“ Tenho orado 52 anos diariamente, por dois homens, filhos de um amigo da minha mocidade. Não são ainda convertidos, porém espero que o venham a ser. Como pode ser de outra forma? Há promessas inabaláveis de Deus e sobre ela eu descanso.”
“ Não muito antes de seu casamento, não se sentia bem com o costume de receber SALÁRIO FIXO, preferindo confiar em Deus em vez de confiar nas promessas dos irmãos. Deu sobre isso as três seguintes razões:

1) Um salário significa uma importância designada, geralmente adquirida do aluguel dos bancos. Mas a vontade de Deus não é alugar bancos. (Tiago 2:1-6)

2)  O preço fixo dum assento na igreja, as vezes, é pesado demais para alguns filhos de Deus, e não quero colocar o menos obstáculo no caminho do progresso espiritual da igreja.

3) Toda idéia de alugar os assentos e ter salários torna-se TROPEÇO para o PREGADOR, levando-o a trabalhar mais pelo dinheiro do que por razões espirituais. (Não está sendo assim nos últimos dias?)
George Müller achava quase impossível ajuntar e guardar dinheiro para qualquer imprevisto, e não ir direto a Deus. Dizia que assim o crente confia no dinheiro em caixa, em vez de confiar em Deus.

Um mês depois de seu casamento, colocou uma caixa no salão de cultos e anunciou que podiam deitar lá as OFERTAS para o seu sustento, e que, daí em diante, não pediria mais nada, nem a seus amados irmãos; porque, como ele disse, “ sem aperceber, tenho sido levado a confiar em braços de carne, mas o melhor é ir diretamente ao Senhor.”
O primeiro ano findou com grande triunfo, e George Müller disse aos irmãos que, apesar da pouca fé ao começar, o Senhor tinha ricamente suprido todas as suas necessidade materiais. E ainda mais importante, tinha-lhe concedido o privilégio de ser um instrumento em sua obra.

Eles não pediam ao próximo e não se endividavam. Eles recorriam ao Senhor. E tudo o que Ele pediu o Senhor lhe concedeu.
Ele abriu orfanatos, a foi crescendo o número de pessoas e também foi aumentando o suprimento de Deus.
O Serviço de pastorear começou a ficar demasiadamente cansado para orar. E foi então que percebeu que podia fazer mais em quatro horas, depois de uma em oração, do que em cinco sem oração. Essa regra ele a observou fielmente durante sessentas anos.
George também recomendava aos irmãos manter um livro onde, numa página assentava seu pedido com data em que fora feito e no lado oposto a data em que recebera a resposta.

George, três anos antes da sua morte, escreveu:

Não me lembro, em toda a minha vida de crente, num período de 69 anos, de que eu jamais buscasse, sinceramente e com paciência, saber a vontade de Deus pelo ensinamento do Espírito Santo por intermédio da Palavra de Deus, e que não fosse guiado certo. Se me faltava, poém, sinceridade de coração e pureza perante Deus, ou se eu não olhava para Deus, com paciência pela direção, ou se eu preferia o conselho do próximo ao da Palavra do Deus vivo, então errava gravemente.
Saber sobre a história de George Müller não só me acrescentou em me dedicar a ter mais horas de oração com o Senhor, como também me esclareceu sobre outras questões, das quais eu tinha dúvidas.

Se quiserem saber mais sobre a vida dele, sugiro que compre o livro: Heróis da Fé de Orlando Boyer. Ou se preferir pode ler também por este link um resumo da sua biográfia, aqui -> http://cristaosnahistoria.blogspot.com.br/2007/08/george-muller-1805-1898.html

Inté mais ler,
Anne Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!